InícioNotíciasAlto Paraíso de Goiás registra crescimento de 202,68% em meios de hospedagem

Alto Paraíso de Goiás registra crescimento de 202,68% em meios de hospedagem

A Secretaria Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Alto Paraíso de Goiás comemora o resultado do censo hoteleiro, realizado entre o período de 2019 a 2024. O estudo permite acompanhar a evolução e o crescimento do segmento em Alto Paraíso, além de identificar, quantificar e levantar seu potencial.

O resultado da pesquisa de 2024 foi positivo e mostra que os turistas estão demonstrando interesse em explorar destinos e vivenciar novas experiências. O documento traz um quadro comparativo dos últimos cinco anos realizado pelo Observatório do Estado de Goiás em Alto Paraíso de Goiás, que apresenta um cenário potente no setor.

Trajetória ascendente
O anúncio foi feito pela prefeitura da cidade e o resultado comprovou que o setor hoteleiro continua a ser um campo promissor para os empreendedores, apesar dos desafios. A pesquisa identificou que, atualmente, Alto Paraíso possui 339 meios de hospedagem em funcionamento, enquanto em 2019 havia 112 unidades, um acréscimo de 202,68%.

“O crescimento do turismo em Alto Paraíso nos últimos anos tem sido notável, e a tendência é de continuar nessa trajetória ascendente. Projeções indicam que a atividade turística se intensificará ainda mais, trazendo não só um aumento na quantidade de visitantes, mas também na qualidade dos serviços oferecidos. Acreditamos que, com investimentos contínuos em infraestrutura e capacitação profissional, conseguiremos atender à demanda crescente de maneira sustentável, preservando o meio ambiente e as características únicas da nossa região”, afirma a secretária Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Alto Paraíso de Goiás, Jaqueline Avelino.

Jaqueline Avelino: “Com investimentos contínuos em infraestrutura e capacitação profissional, conseguiremos atender à demanda crescente”

Conforme o cenário atualizado das potencialidades do mercado hoteleiro de Alto Paraíso, a tendência é que o próximo estudo aponte uma atividade turística ainda mais intensa na região. “Sem dúvida, as melhorias na infraestrutura e na prestação de serviços são ações promovidas pelo município. É importante termos sinais de telefonia e internet de qualidade, além de projetos que visem à melhoria das estradas, sinalização turística, capacitação da mão de obra local e promoção de eventos culturais e esportivos. Esses fatores, aliados à beleza natural da região e à oferta diversificada de atividades ao ar livre, têm atraído cada vez mais visitantes”, destaca Jaqueline.

Ela enfatiza ainda o aumento de 106,48% no número de leitos, passando de 2.886 unidades em 2019 para 5.959 leitos em 2024. “A formalização e registro de meios de hospedagem, inclusive de Airbnbs, contribuem para um ambiente mais organizado e seguro para os turistas. Além disso, o cadastramento dos guias turísticos tem sido essencial para ofertar experiências seguras e informativas para os visitantes”, conclui a secretária de Turismo.


A Secretaria Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Alto Paraíso de Goiás comemora o resultado do censo hoteleiro, realizado entre o período de 2019 a 2024. O estudo permite acompanhar a evolução e o crescimento do segmento em Alto Paraíso, além de identificar, quantificar e levantar seu potencial.

O resultado da pesquisa de 2024 foi positivo e mostra que os turistas estão demonstrando interesse em explorar destinos e vivenciar novas experiências. O documento traz um quadro comparativo dos últimos cinco anos realizado pelo Observatório do Estado de Goiás em Alto Paraíso de Goiás, que apresenta um cenário potente no setor.

Trajetória ascendente

O anúncio foi feito pela prefeitura da cidade e o resultado comprovou que o setor hoteleiro continua a ser um campo promissor para os empreendedores, apesar dos desafios. A pesquisa identificou que, atualmente, Alto Paraíso possui 339 meios de hospedagem em funcionamento, enquanto em 2019 havia 112 unidades, um acréscimo de 202,68%.

“O crescimento do turismo em Alto Paraíso nos últimos anos tem sido notável, e a tendência é de continuar nessa trajetória ascendente. Projeções indicam que a atividade turística se intensificará ainda mais, trazendo não só um aumento na quantidade de visitantes, mas também na qualidade dos serviços oferecidos. Acreditamos que, com investimentos contínuos em infraestrutura e capacitação profissional, conseguiremos atender à demanda crescente de maneira sustentável, preservando o meio ambiente e as características únicas da nossa região”, afirma a secretária Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Alto Paraíso de Goiás, Jaqueline Avelino.

Jaqueline Avelino: “Com investimentos contínuos em infraestrutura e capacitação profissional, conseguiremos atender à demanda crescente”

Conforme o cenário atualizado das potencialidades do mercado hoteleiro de Alto Paraíso, a tendência é que o próximo estudo aponte uma atividade turística ainda mais intensa na região. “Sem dúvida, as melhorias na infraestrutura e na prestação de serviços são ações promovidas pelo município. É importante termos sinais de telefonia e internet de qualidade, além de projetos que visem à melhoria das estradas, sinalização turística, capacitação da mão de obra local e promoção de eventos culturais e esportivos. Esses fatores, aliados à beleza natural da região e à oferta diversificada de atividades ao ar livre, têm atraído cada vez mais visitantes”, destaca Jaqueline.

Ela enfatiza ainda o aumento de 106,48% no número de leitos, passando de 2.886 unidades em 2019 para 5.959 leitos em 2024. “A formalização e registro de meios de hospedagem, inclusive de Airbnbs, contribuem para um ambiente mais organizado e seguro para os turistas. Além disso, o cadastramento dos guias turísticos tem sido essencial para ofertar experiências seguras e informativas para os visitantes”, conclui a secretária de Turismo.

Aumento na demanda de hospedagem

O estudo apontou, ainda, o valor aproximado da diária cobrada pelos hotéis. Em 2019, estava em média em R$ 200 e, agora, o preço está em torno de R$ 300. “Esse acréscimo pode ser atribuído a vários fatores. Primeiramente, houve uma inflação geral que impacta os custos operacionais dos hotéis, incluindo salários, insumos e manutenção. Além disso, o aumento na demanda por acomodações mais confortáveis e sofisticadas levou muitos estabelecimentos a investirem em melhorias e atualizações, o que naturalmente resulta em um custo maior das diárias”, analisa a proprietária da Pousada Maya Experience, Mariana Negrini.

Mariana Negrini: “Temos investido constantemente em serviços de alta qualidade, como, por exemplo, o serviço de concierge”

Existem várias razões que tornam esse setor atraente no atual cenário econômico. Para a pesquisa, a primeira delas é o aumento da demanda por hospedagem impulsionado pelo crescimento do turismo. “Eu esperava até que houvesse um aumento maior, diante da grande especulação imobiliária na região, tanto na área urbana quanto rural, nos últimos cinco anos. Diante da perspectiva da atualização do Plano Diretor do Município de Alto Paraíso de Goiás, houve uma acelerada busca por terrenos com a perspectiva de expansão urbana. Acredito que grande parte dos novos empreendimentos que irão surgir, será com fins de exploração turística”, revela Mércia Beatriz Miranda, proprietária da Pousada Caminho das Cachoeiras, que lembra ainda a importância de políticas públicas para garantir uma equilibrada expansão urbana, e não um crescimento desordenado.

Experiências turísticas personalizadas

Outro fator importante é o perfil dos turistas que têm visitado a Chapada nos últimos anos. Atualmente as pessoas buscam experiências mais exclusivas e personalizadas, o que permite que os hotéis cobrem um valor maior por seus serviços. “Na Pousada Maya, por exemplo, temos investido constantemente em infraestrutura, serviços de alta qualidade e práticas sustentáveis, como, por exemplo, o serviço de concierge, que agrega valor à experiência do hóspede e justifica um ajuste nas tarifas”, defende Mariana. “Após a reabertura pós-pandemia, notamos uma mudança no perfil do público. Antes composto majoritariamente por pessoas mais jovens, agora vemos um aumento de visitantes que buscam conforto em sua estadia, como casais comemorando datas especiais e pessoas com maior poder aquisitivo. Isso incentivou os meios de hospedagem a melhorarem suas infraestruturas para atender a um público mais seleto e exigente”, aponta a empresária.

F

A Secretaria Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Alto Paraíso de Goiás comemora o resultado do censo hoteleiro, realizado entre o período de 2019 a 2024. O estudo permite acompanhar a evolução e o crescimento do segmento em Alto Paraíso, além de identificar, quantificar e levantar seu potencial.

O resultado da pesquisa de 2024 foi positivo e mostra que os turistas estão demonstrando interesse em explorar destinos e vivenciar novas experiências. O documento traz um quadro comparativo dos últimos cinco anos realizado pelo Observatório do Estado de Goiás em Alto Paraíso de Goiás, que apresenta um cenário potente no setor.

Trajetória ascendente

O anúncio foi feito pela prefeitura da cidade e o resultado comprovou que o setor hoteleiro continua a ser um campo promissor para os empreendedores, apesar dos desafios. A pesquisa identificou que, atualmente, Alto Paraíso possui 339 meios de hospedagem em funcionamento, enquanto em 2019 havia 112 unidades, um acréscimo de 202,68%.

“O crescimento do turismo em Alto Paraíso nos últimos anos tem sido notável, e a tendência é de continuar nessa trajetória ascendente. Projeções indicam que a atividade turística se intensificará ainda mais, trazendo não só um aumento na quantidade de visitantes, mas também na qualidade dos serviços oferecidos. Acreditamos que, com investimentos contínuos em infraestrutura e capacitação profissional, conseguiremos atender à demanda crescente de maneira sustentável, preservando o meio ambiente e as características únicas da nossa região”, afirma a secretária Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Alto Paraíso de Goiás, Jaqueline Avelino.

Jaqueline Avelino: “Com investimentos contínuos em infraestrutura e capacitação profissional, conseguiremos atender à demanda crescente”

Conforme o cenário atualizado das potencialidades do mercado hoteleiro de Alto Paraíso, a tendência é que o próximo estudo aponte uma atividade turística ainda mais intensa na região. “Sem dúvida, as melhorias na infraestrutura e na prestação de serviços são ações promovidas pelo município. É importante termos sinais de telefonia e internet de qualidade, além de projetos que visem à melhoria das estradas, sinalização turística, capacitação da mão de obra local e promoção de eventos culturais e esportivos. Esses fatores, aliados à beleza natural da região e à oferta diversificada de atividades ao ar livre, têm atraído cada vez mais visitantes”, destaca Jaqueline.

Ela enfatiza ainda o aumento de 106,48% no número de leitos, passando de 2.886 unidades em 2019 para 5.959 leitos em 2024. “A formalização e registro de meios de hospedagem, inclusive de Airbnbs, contribuem para um ambiente mais organizado e seguro para os turistas. Além disso, o cadastramento dos guias turísticos tem sido essencial para ofertar experiências seguras e informativas para os visitantes”, conclui a secretária de Turismo.

Aumento na demanda de hospedagem

O estudo apontou, ainda, o valor aproximado da diária cobrada pelos hotéis. Em 2019, estava em média em R$ 200 e, agora, o preço está em torno de R$ 300. “Esse acréscimo pode ser atribuído a vários fatores. Primeiramente, houve uma inflação geral que impacta os custos operacionais dos hotéis, incluindo salários, insumos e manutenção. Além disso, o aumento na demanda por acomodações mais confortáveis e sofisticadas levou muitos estabelecimentos a investirem em melhorias e atualizações, o que naturalmente resulta em um custo maior das diárias”, analisa a proprietária da Pousada Maya Experience, Mariana Negrini.

Mariana Negrini: “Temos investido constantemente em serviços de alta qualidade, como, por exemplo, o serviço de concierge”

Existem várias razões que tornam esse setor atraente no atual cenário econômico. Para a pesquisa, a primeira delas é o aumento da demanda por hospedagem impulsionado pelo crescimento do turismo. “Eu esperava até que houvesse um aumento maior, diante da grande especulação imobiliária na região, tanto na área urbana quanto rural, nos últimos cinco anos. Diante da perspectiva da atualização do Plano Diretor do Município de Alto Paraíso de Goiás, houve uma acelerada busca por terrenos com a perspectiva de expansão urbana. Acredito que grande parte dos novos empreendimentos que irão surgir, será com fins de exploração turística”, revela Mércia Beatriz Miranda, proprietária da Pousada Caminho das Cachoeiras, que lembra ainda a importância de políticas públicas para garantir uma equilibrada expansão urbana, e não um crescimento desordenado.

Experiências turísticas personalizadas

Outro fator importante é o perfil dos turistas que têm visitado a Chapada nos últimos anos. Atualmente as pessoas buscam experiências mais exclusivas e personalizadas, o que permite que os hotéis cobrem um valor maior por seus serviços. “Na Pousada Maya, por exemplo, temos investido constantemente em infraestrutura, serviços de alta qualidade e práticas sustentáveis, como, por exemplo, o serviço de concierge, que agrega valor à experiência do hóspede e justifica um ajuste nas tarifas”, defende Mariana. “Após a reabertura pós-pandemia, notamos uma mudança no perfil do público. Antes composto majoritariamente por pessoas mais jovens, agora vemos um aumento de visitantes que buscam conforto em sua estadia, como casais comemorando datas especiais e pessoas com maior poder aquisitivo. Isso incentivou os meios de hospedagem a melhorarem suas infraestruturas para atender a um público mais seleto e exigente”, aponta a empresária.

Mércia Beatriz Miranda: “Acredito que grande parte dos novos empreendimentos que irão surgir, será com fins de exploração turística”

Está comprovado que a demanda por hospedagem é contínua, mantendo o turismo em um lugar de constante crescimento, com um aumento significativo no número de viajantes. Isso gera uma procura por acomodações de qualidade, resultando em um mercado estável e com potencial de retorno sobre o investimento. “No meu estabelecimento houve um crescimento de hóspedes devido à tendência de busca do turismo de natureza, provocado pela pandemia. E, também, pela reforma estrutural feita para atender uma maior quantidade de novos turistas, com mais conforto”, conta Mércia, que ampliou e fez algumas reformas nas instalações da Pousada Caminho das Cachoeiras. “Por enquanto, o ramo hoteleiro está sendo promissor. Desde que haja um controle na ampliação da quantidade e qualidade dos novos estabelecimentos, com o devido cuidado”, alerta Mércia.

Aumento exponencial nas UHs

Também houve um salto no número de UHs. Em 2019 eram 1.105, e agora, o resultado da pesquisa apontou um acréscimo de 107,96%. O número subiu para 2.298. Mais um motivo de comemoração, com relação ao crescimento turístico. “Houve, nos últimos anos, um aumento significativo no número de visitantes no município, diante dos diversos atrativos naturais à disposição das pessoas, além dos meios de hospedagem, que atendem aos variados tipos de turistas, de diferentes classes sociais. Muitos deles estão em busca de hospedagem nas UHs, fazendo com que seu número aumentasse de forma exponencial, sendo este um motivo para comemorarmos”, comenta Jaqueline Avelino.

O levantamento do Censo Hoteleiro 2024 cobriu, em Alto Paraíso, 170 estabelecimentos em funcionamento, 24 fechados e 2 em reforma, entre hotéis, pousadas, hostelsflats e dormitórios. O estudo identificou a capacidade de atendimento, serviços adicionais oferecidos, formas de pagamento e tarifas, ocupação, quantitativo de funcionários, necessidades de gestão da empresa, sustentabilidade, biossegurança e economia compartilhada, além do perfil dos turistas.

Fonte: Jornal Opção

POSTAGENS RELACIONADAS
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

MAIS LIDAS DA SEMANA